Sobre

Relações públicas por formação, redatora por opção, artesã por puro acaso. Atualmente, em inglês, também posso dizer que sou Dog walker, Natural Pet Trainer and Carnivore Nutritionist… A lista é longa. Se me solto aqui, não paro mais. Mas, a verdade é uma só, me reinvento todos os dias e pouco me importa os títulos, eu quero mais é conhecimento para fazer tudo direitinho por essas terras.

Eu sou, antes de mais nada, a Fabíola, a mãe do Fábio, da Ana e da schnauzer Dora. Filha do Zé e esposa do Dé. Assim mesmo, tudo junto e misturado, a pessoa, a profissional, a mãe, a tutora, a filha e a esposa.

No Brasil, tive o prazer de trabalhar como assessora de imprensa, redatora, produtora e roteirista.

Sou apaixonada por uma boa causa, por isso, sempre estive envolvida no terceiro setor, com trabalhos filantrópicos em diversas frentes da comunicação para os mais variados setores e instituições.

Moro no Canadá com minha família, onde cuido dos meus filhos, da Dora e da casa, estudo nutrição animal e caminho uma penca de cachorros todos os dias. Como não poderia deixar de ser, sou voluntária na Sociedade Protetora dos Animais. Comecei ajudando com aulas de artesanato para crianças de 4 a 12 anos, até que um dia confiaram nos meus braços para segurar a cachorrada por lá, daí eu virei “dog walker”, voltei para os estudos e resolvi me dedicar aos cuidados naturais para cães e gatos.

Eu cresci cercada de cães, e confesso que um dia, ainda muito pequena, falei para a minha Pepita que estudaria para cuidar dela “direito”. Na minha inocência pueril, achava que ela viveria até esse dia. Tanta coisa aconteceu. A promessa ficou tão guardadinha que eu achei (mesmo) que não poderia cumpri-la nessa vida. Mas, quem tem bicho sabe, eles são anjos, você já viu anjo te desencorajar? A Pepita deu um jeito, mandou a Lola para me ensinar o básico. A Lola partiu lindamente, deixando em mim a certeza de que finalmente minhas palavras ganhariam vida e cá estou, estudando, aprendendo e amando.

Acredito muito na essência de cada um de nós. E gosto demais de quem tem alma e coração próprios.

Aprecio a vida, o diferente e o divertido.

Este é o meu espaço para deixar o registro do que penso.

E o que eu penso, vale dizer, não é nenhuma verdade. É apenas o que penso. 

Fico muito feliz com a sua visita e não espero que concorde com o que eu digo. Espero apenas que se minhas palavras lhe forem úteis, que as aproveite de alguma forma.

Seja bem-vindo!

cornucopia

Por que cornucópia?

Na mitologia, “cornucópia” é um antigo vaso em forma de chifre (por isso “cornu”) repleto de frutas e flores numa miscelânea que dele extravasam profusamente.

Escolhi a palavra “cornucópia”, no plural, como extensão deste Blog porque ela simboliza a fertilidade, a riqueza e a abundância, o que o conhecimento e as palavras também significam para mim.

Anúncios